TOTVS mantém-se na liderança do mercado brasileiro de ERP, diz FGV

TOTVS - Nova MarcaEmpresa nacional detém 37% da base dos sistemas de gestão empresarial instalados no País, segundo estudo da FGV. A SAP é a segunda colocada e Oracle a terceira do ranking.

A fornecedora nacional de sistema de gestão empresarial (ERP) Totvs mantém-se na liderança desse mercado no Brasil. A empresa detém 37% da base instalada desses pacotes no País, segundo dados da 25ª pesquisa anual realizada pelo Centro de Tecnologia de Informação Aplicada de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP) e divulgada nesta quarta-feira (24), em São Paulo.

A segunda colocada na venda de ERP é a SAP, com participação de 30%, seguida da Oracle, com 16%. Outras fornecedoras como Infor, QAD, Senior e StarSoft têm uma fatia de 17%, de acordo com o estudo da FGV-EAESP. A pesquisa é referente ao ano de 2013/2014 e entrevistou 2,3 mil empresas de grande e médio porte, que correspondem a 68% das maiores do País. O relatório não contempla pequenos negócios.

A classificação do tamanho das companhias feito pela FGV é por quantidade de teclados dentro das organizações. Assim, nas com até 170 teclados a Totvs tem uma participação de 52% da base instalada de ERP, enquanto a Oracle e SAP detêm cada uma participação de 9%. Os 17% restantes são de pacotes de outros fornecedores

Entre as companhias entrevistadas com 170 a 700 teclados, a Totvs aparece com 41% da base instalada de ERP, seguida da SAP com 24%, Oracle com 17% e outros 18%.

Em se tratando de organizações grandes, com mais de 700 teclados, a liderança é da SAP, que detém 52% da pizza de ERP. A Oracle vem em segundo lugar com 21% do mercado e a Totvs com 20%, enquanto outros fornecedores representam 7% dos sistemas de gestão.

O estudo da FGV não mediu o uso de ofertas de ERP em nuvem. Para o professor Fernando Meirelles, coordenador da pesquisa, esse tema ainda é muito nebuloso no País. Esse tipo de avaliação deverá entrar mais para frente nos próximos estudos, quando segundo ele, o modelo estiver mais maduro no Brasil.

Outras tecnologias

Ao analisar o uso de BI e CRM, a SAP é a que tem maior participação do total das empresas entrevistadas. A produtora alemã ficou com market share de 25%. A Oracle aparece em segundo lugar, com 21%; Totvs com 16%; IBM com 10%; Microsoft com 9% e outros 19%.

Os bancos de dados preferidos para servidores nas empresas são o Oracle e SQL da Microsoft, que estão empatados com participação de 36%, cada um. Já em ambiente para o usuário final, o SQL e Access detêm 29% de participação, cada um; enquanto Oracle tem market share de 27%.

A Microsoft mantém sua liderança com sistema operacional Windows em servidores, presente em 70% das empresas entrevistadas. Seu concorrente Linux está estacionado no Brasil, adotado por 18% das companhias em servidor corporativo. Essa participação se mantém há quatro anos e o sistema de código aberto ainda não chegou às estações de trabalho, segundo o relatório.

Ao analisar a estagnação do Linux no Brasil, o professor Meirelles disse que o sistema de código aberto ainda de separa com a dificuldade dos profissionais em digeri-lo. Ele ressaltou que o Windows também tem muitos problemas. Entretanto, argumenta que quando o sistema aberto falha em um grande banco, a situação é muito mais complicada para se resolver e por isso as companhias optam pelo ambiente proprietário.

Fonte: Computerworld

Empresa nacional detém 37% da base dos sistemas de gestão empresarial instalados no País, segundo estudo da FGV. A SAP é a segunda colocada e Oracle a terceira do ranking.

A fornecedora nacional de sistema de gestão empresarial (ERP) Totvs mantém-se na liderança desse mercado no Brasil. A empresa detém 37% da base instalada desses pacotes no País, segundo dados da 25ª pesquisa anual realizada pelo Centro de Tecnologia de Informação Aplicada de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP) e divulgada nesta quarta-feira (24), em São Paulo.

A segunda colocada na venda de ERP é a SAP, com participação de 30%, seguida da Oracle, com 16%. Outras fornecedoras como Infor, QAD, Senior e StarSoft têm uma fatia de 17%, de acordo com o estudo da FGV-EAESP. A pesquisa é referente ao ano de 2013/2014 e entrevistou 2,3 mil empresas de grande e médio porte, que correspondem a 68% das maiores do País. O relatório não contempla pequenos negócios.

A classificação do tamanho das companhias feito pela FGV é por quantidade de teclados dentro das organizações. Assim, nas com até 170 teclados a Totvs tem uma participação de 52% da base instalada de ERP, enquanto a Oracle e SAP detêm cada uma participação de 9%. Os 17% restantes são de pacotes de outros fornecedores

Entre as companhias entrevistadas com 170 a 700 teclados, a Totvs aparece com 41% da base instalada de ERP, seguida da SAP com 24%, Oracle com 17% e outros 18%.

Em se tratando de organizações grandes, com mais de 700 teclados, a liderança é da SAP, que detém 52% da pizza de ERP. A Oracle vem em segundo lugar com 21% do mercado e a Totvs com 20%, enquanto outros fornecedores representam 7% dos sistemas de gestão.

O estudo da FGV não mediu o uso de ofertas de ERP em nuvem. Para o professor Fernando Meirelles, coordenador da pesquisa, esse tema ainda é muito nebuloso no País. Esse tipo de avaliação deverá entrar mais para frente nos próximos estudos, quando segundo ele, o modelo estiver mais maduro no Brasil.

Outras tecnologias

Ao analisar o uso de BI e CRM, a SAP é a que tem maior participação do total das empresas entrevistadas. A produtora alemã ficou com market share de 25%. A Oracle aparece em segundo lugar, com 21%; Totvs com 16%; IBM com 10%; Microsoft com 9% e outros 19%.

Os bancos de dados preferidos para servidores nas empresas são o Oracle e SQL da Microsoft, que estão empatados com participação de 36%, cada um. Já em ambiente para o usuário final, o SQL e Access detêm 29% de participação, cada um; enquanto Oracle tem market share de 27%.

A Microsoft mantém sua liderança com sistema operacional Windows em servidores, presente em 70% das empresas entrevistadas. Seu concorrente Linux está estacionado no Brasil, adotado por 18% das companhias em servidor corporativo. Essa participação se mantém há quatro anos e o sistema de código aberto ainda não chegou às estações de trabalho, segundo o relatório.

Ao analisar a estagnação do Linux no Brasil, o professor Meirelles disse que o sistema de código aberto ainda de separa com a dificuldade dos profissionais em digeri-lo. Ele ressaltou que o Windows também tem muitos problemas. Entretanto, argumenta que quando o sistema aberto falha em um grande banco, a situação é muito mais complicada para se resolver e por isso as companhias optam pelo ambiente proprietário.

Fonte: Computerworld

Anúncios

Sobre Ramires, F A. Borja

Sólidos conhecimentos em: GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS - Planejamento Estratégico Empresarial; - Balanced Scorecard (BSC); - Indicadores de Performance (KPI); - Avaliação de Potencial de Mercado; - Marketing Geográfico (GIS); - Business Intelligence (BI); - Inteligência Competitiva. GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA - Planejamento Orçamentário; - Plano de Negócios; - Análise de Custo, Volume e Lucro; - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional; - Formação e Análise de Preços; - Retorno sobre Investimentos; - EVA, MVA, EBITDA e Fluxo de Caixa Descontado; - Risco de Crédito com Credit Score.
Esse post foi publicado em Tecnologia da Informação e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s