A importância da abertura das APIs para os sistemas de gerenciamento de lojas online

eCommerce (1)Para as empresas de e-commerce, os sistemas de gestão estão sendo desenvolvidos com foco cada vez maior no tipo de negócio, ofertando aplicações específicas para eles

Desde que surgiram no mercado, os sistemas de ERP e ferramentas para gestão empresarial participam da pauta de todas as empresas, seja de grande ou pequeno porte. Um estudo do Gartner mostrou que os gastos com software empresarial devem crescer 6,4% este ano, chegando a US$ 297 bilhões, enquanto o segmento de serviços de TI tem expectativa de expansão de 4,5%, para US$ 918 bilhões.

Para as empresas de e-commerce, os sistemas de gestão estão sendo desenvolvidos com foco cada vez maior no tipo de negócio, ofertando aplicações específicas para eles. São softwares para controle de estoque, gerenciamento de pagamentos, prazo de entrega, atendimento ao cliente, entre outras demandas. Mas para aqueles que atuam também em marketplaces, a grande questão é como administrar dois sistemas separados. E este problema ainda ganha em complexidade quando você adiciona outros canais como mobile, mídias sociais, rede própria, venda direta etc.

Para conseguir ajudar esses varejistas a não terem mais que gerenciar duas plataformas de negócios distintas, em outubro de 2012, o MercadoLivre tornou pública suas API (interface de programação de aplicativos). A partir daí permitiu-se a integração entre a o site do varejista e a plataforma do MercadoLivre, ou seja, as lojas conseguiram unificar os sistemas de gestão. Além disso, a abertura da plataforma passou a permitir que desenvolvedores criem soluções complementares ao ecossistema do MercadoLivre, que beneficiam diretamente os vendedores e compradores do site, e tendo a oportunidade de receber um aporte do MercadoLibre Commerce Fund. O fundo, anunciado em abril deste ano, investirá US$ 10 milhões no financiamento de startups que desenvolvam tecnologias a serem usadas na plataforma da companhia.

Em julho, o MercadoLivre anunciou o aporte de US$100 mil para cada uma das três start-ups argentinas que apresentaram projetos que contribuem para a melhoria da gestão do ecossistema da empresa, sendo que dois deles focam em soluções para gerenciamento. A Nubi Metrics, por exemplo, é uma plataforma de inteligência de negócio e relatórios gerenciais para e-commerce baseada na nuvem. Já a Parsimotion oferece um ERP (Sistemas Integrados de Gestão Empresarial, na tradução em português) baseado na nuvem voltado para a cadeia de fornecedores de suprimentos. Com uma simples integração, vendedores do MercadoLivre podem administrar inventários, pedidos e custos no intuito de otimizar tais operações.  Já a Mr Presta, uma das escolhidas, oferece crédito a vendedores do MercadoLivre utilizando a API para avaliação de risco.

Para empresas que além do seu site próprio também atuam em outros canais, ter acesso a marketplaces com APIs públicas é ainda mais importante. Afinal, elas passam a conseguir gerir todos os canais de forma única. Varejistas como PetLove, Beleza na Web, Kanui, Tricae, Webfones, Mobly, entre outros, já conseguiram integrar suas lojas ao MercadoLivre e com isso ter mais facilidade e agilidade para lidar com todos os seus canais de venda.

Do ponto de vista do negócio, as vantagens de se ter os sistemas integrados em um único software de gestão de pedidos são inúmeras. A concentração dos dados permite que a empresa estude da melhor maneira o mercado, conseguindo assim tomar as melhores decisões na hora de investir, definir quais os canais geram maior retorno, além de preparar campanhas e ações que foquem no que o cliente deseja em cada canal.

Hoje, é preciso agilidade para acompanhar as mudanças no negócio e resolver problemas cruciais, aproveitando as oportunidades e gerando, principalmente, economia para empresa. Isso é o que o MercadoLivre aposta para o futuro de seu marketplace. Oferecer uma cadeia de suprimentos que atenda da melhor maneira o usuário da plataforma. O primeiro passo foi dado, com a abertura das APIs. Daqui pra frente, é esperar pelas novidades.

Fonte No Varejo

Anúncios

Sobre Ramires, F A. Borja

Sólidos conhecimentos em: GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS - Planejamento Estratégico Empresarial; - Balanced Scorecard (BSC); - Indicadores de Performance (KPI); - Avaliação de Potencial de Mercado; - Marketing Geográfico (GIS); - Business Intelligence (BI); - Inteligência Competitiva. GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA - Planejamento Orçamentário; - Plano de Negócios; - Análise de Custo, Volume e Lucro; - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional; - Formação e Análise de Preços; - Retorno sobre Investimentos; - EVA, MVA, EBITDA e Fluxo de Caixa Descontado; - Risco de Crédito com Credit Score.
Esse post foi publicado em Tecnologia da Informação e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s