E-commerce: sua infraestrutura está realmente preparada?

eCommerce (1)Para Fabiano Silva, os varejistas online devem se preocupar com conexões de altíssima velocidade para assegurar o rápido desempenho das transações

A sociedade conectada revoluciona, diariamente, a maneira de consumo de muitas pessoas. Hoje em dia, o acesso a qualquer tipo de produto ou serviço está diretamente associado à internet, seja no momento da pesquisa ou na hora compra. Dados da E-bit, instituto de pesquisa especializado no meio online, revelam que no primeiro semestre deste ano o segmento no Brasil faturou R$ 12,74 bilhões, uma alta de 24% em relação mesmo período do ano passado.
Comerciantes de diversos setores têm o desafio de garantir a presença online da empresa com acesso rápido e alta disponibilidade das páginas, para competir no mercado e conquistar a satisfação de uma clientela exigente e bem instruída, e que adora comprar virtualmente. Independente do ramo de atividade, o funcionamento de um site de e-commerce inclui processos de tecnologia complexos, especialmente na parte de infraestrutura de TI e Telecom, porque o conteúdo que trafega na rede está cada vez mais complexo. Pouca eficiência no carregamento de páginas, por exemplo, pode representar desistências de compras por causa da lentidão.

Para o consumidor, a infraestrutura por trás de um e-commerce representa apenas um detalhe. Porém, para empresas que almejam sucesso na oferta de produtos pela internet, reconhecer o processo tecnológico de uma compra virtual é fundamental para o desenvolvimento do negócio. Do lado do comprador, a transação virtual se resume apenas em cliques e e-mails de confirmação e autenticação da compra. Mas, no lado do lojista, esse processo envolve uma série de fatores como armazenamento, segurança de dados e processamento.

De forma geral, o passo a passo de uma transação virtual ocorre a partir do momento em que o consumidor navega pela internet e acessa a loja virtual, disponível na nuvem. No login do cliente, cadastro que registra histórico de transações, acessos e permite gerar relatórios de performance a cada etapa concluída, existem controles de segurança que garantem a integridade do site, evitando possíveis ataques de invasores. Antes das informações chegarem aos servidores, toda a navegação passa pelos balanceadores de carga, que distribuem a demanda entre os servidores de forma inteligente, otimizando o processamento e garantindo a melhor experiência do usuário.

s informações são processadas pelos servidores e consultas são realizadas nos  bancos de dados para verificar estoques e promoções cadastradas no momento da visita do cliente. Análises sobre os dados protegidos em plataformas de armazenamentos (Storages) devolvem de forma rápida taxas de desconto, ou mesmo, sugestões de compras baseados no perfil do cliente. No momento em que o cliente decide finalizar a compra, os bancos de dados vinculam as informações estocadas a partir do cadastro do cliente. É nessa etapa que ocorrem as validações, conforme as regras do negócio estabelecidas pelo site.

O próximo passo é o envio dos dados financeiros do cliente para uma instituição de pagamento eletrônico, que efetua a validação dos dados e retorna a resposta para a empresa, permitindo – ou vetando – a transação. Com a aprovação do processo, é disparado o pedido de envio para o estoque e a confirmação da compra segue para o cliente, em ambiente seguro, e os dados ficam armazenados para futuras consultas. Um fator relevante nesse cenário é o planejamento de uma estrutura organizada para suportar grandes volumes de informação em datas comemorativas como Dia das Mães, Dia dos Namorados e Natal, que demandam alta disponibilidade do ambiente.

Os varejistas online devem se preocupar com conexões de altíssima velocidade para assegurar o rápido desempenho das transações. Muitos fornecedores de soluções de TI oferecem serviços flexíveis, para clientes investirem no momento em que necessitarem. Montar um site de e-commerce pode parecer simples tendo em vista as diversas peças publicitárias de sites que prometem a criação e hospedagem de lojas virtuais.

Manter um ambiente competitivo é outra história. A experiência e suporte de profissionais dedicados pode fazer a diferença nos momentos mais críticos, quando a demanda supera as expectativas, ou é necessária uma correção rápida em detalhes da loja virtual. Nessas horas, a diferença entre abrir um chamado on-line ou falar diretamente com os engenheiros que conhecem sua operação pode ser representativa no caixa do negócio.

Por Fabiano Silva

Anúncios

Sobre Ramires, F A. Borja

Sólidos conhecimentos em: GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS - Planejamento Estratégico Empresarial; - Balanced Scorecard (BSC); - Indicadores de Performance (KPI); - Avaliação de Potencial de Mercado; - Marketing Geográfico (GIS); - Business Intelligence (BI); - Inteligência Competitiva. GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA - Planejamento Orçamentário; - Plano de Negócios; - Análise de Custo, Volume e Lucro; - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional; - Formação e Análise de Preços; - Retorno sobre Investimentos; - EVA, MVA, EBITDA e Fluxo de Caixa Descontado; - Risco de Crédito com Credit Score.
Esse post foi publicado em Inteligência de Negócios e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s