PMEs estão mais confiantes no uso da TI para avançar nos negócios

Small Business (3)Estudo realizado pela Symantec com 2,5 mil pequenos negócios no mercado global revela que os que confiam mais na TI são os mais bem-sucedidos.

As pequenas e médias empresas (PMEs) com mais confiança no uso da Tecnologia da Informação são a mais bem-sucedidas na exploração de novas ferramentas para conduzir suas operações e apresentam resultados de negócios melhores e mais sólidos. A comprovação está em um estudo conduzido pela Symantec com 2,5 mil companhias desse segmento no mercado global, com participação de 20 países, incluindo o Brasil.

O estudo englobou empresas com 10 a 250 funcionários e foi realizado para determinar a atitude dos pequenos negócios em relação à TI. As respostas foram utilizadas para desenvolver o “Índice de Confiança das PMEs na TI”, uma medida de quão confiantes as empresas estão ao usarem suas áreas de tecnologia para cumprir os seus objetivos estratégicos de negócios.

Surgiram três categorias de companhias, sendo que o contraste entre as com maior confiança na TI (Top-Tier) e as com menos (Low-Tier) formou a base das principais conclusões da pesquisa.

Segundo Marcelo Saburo, diretor da Symantec para mercado de PMEs, alianças e canais, a pesquisa revela como as atitudes dos proprietários dessas em relação à TI podem ter um impacto significativo nos negócios.

“Parece haver uma correlação positiva entre proteger os ativos de informação e atingir os objetivos de negócio. Se as pequenas empresas quiserem maximizar seu sucesso, precisarão adotar a TI como uma ferramenta estratégica com potencial para garantir uma vantagem competitiva e realmente impulsionar os negócios”, afirma.

Confiança na TI vem de cima

Um dos principais fatores que estimularam a alta pontuação de confiança na TI foi a perspectiva dos sócios-fundadores e a forma que isso impacta a adoção da TI. Setenta e quatro por cento das empresas com pontuações mais altas disseram que experiências de negócios prévias dos proprietários tiveram alguma ou muita influência nas filosofias relacionadas à TI; em comparação a 61% no caso das empresas com as menores pontuações.

Além disso, 83% das PMEs Top-Tier usam a TI como um facilitador de negócios estratégicos, contra apenas 44% daquelas com baixo índice de confiança. As empresas com melhor pontuação de confiança também são mais propensas a investir em infraestruturas de TI de alta qualidade e a implementar plataformas de computação avançada, como as de nuvem e as de mobilidade. Para elas, mesmo com riscos potenciais, o investimento vale a pena.

As PMEs com melhor pontuação de confiança estão com os melhores resultados em comparação com as empresas Low-Tier. Oitenta e um por cento delas disseram que “o uso estratégico da computação para impulsionar os negócios” foi de alguma forma ou extremamente eficaz para aumentar a participação de mercado, em comparação com apenas 35% das empresas com os menores níveis de confiança.

Aspectos de segurança

Essas PMEs também tornaram a segurança das informações uma prioridade para os negócios, com 78% afirmaram que estão de alguma forma ou extremamente seguras; contra 39% das menos confiantes. Elas também observam menos ataques cibernéticos e perdas financeiras (51% a menos da perda anual com ataques cibernéticos).

Em áreas como gestão de armazenamento, intervalos de backup e preparação para casos de desastres, as empresas com pontuações mais altas relataram impactos muito menores resultantes da complexidade da TI.

Veja a seguir três recomendações do estudo da Symantec para PMEs:

1- Invista pensando no valor, não no custo. Ao avaliar soluções de TI para os negócios, as PMEs devem considerar o valor e o custo no longo prazo e determinar quais tecnologias ajudarão a diferenciá-las da concorrência e suportar o crescimento no futuro.

2- Use a TI estrategicamente para atingir os principais objetivos de negócio. As PMEs com pontuações mais altas tomam a iniciativa de TI correta para atingir seus objetivos de negócio. Elas são mais agressivas na implantação de tecnologias avançadas, como as de mobilidade e computação em nuvem, e se concentram na eficiência. Por exemplo, Pequenas e Médias Empresas com pontuações maiores considerariam o uso de ferramentas de colaboração online e videoconferência para reduzir custos com telefones e viagens.

3- Mantenha a TI em ordem. Especialmente quando se trata de proteção de dados, a perda de informações pode ser a sentença de morte para uma PME. Em termos de segurança, as PMEs agora se tornaram um alvo dos cibercriminosos.

As PMEs com níveis superiores de confiança na TI entendem a importância de manter os sistemas de proteção atualizados, e 81% empregam agressivamente medidas de segurança. O mesmo padrão se aplica ao backup e à preparação para casos de desastre.

Por Now!Digital Business

Anúncios

Sobre Ramires, F A. Borja

Sólidos conhecimentos em: GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS - Planejamento Estratégico Empresarial; - Balanced Scorecard (BSC); - Indicadores de Performance (KPI); - Avaliação de Potencial de Mercado; - Marketing Geográfico (GIS); - Business Intelligence (BI); - Inteligência Competitiva. GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA - Planejamento Orçamentário; - Plano de Negócios; - Análise de Custo, Volume e Lucro; - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional; - Formação e Análise de Preços; - Retorno sobre Investimentos; - EVA, MVA, EBITDA e Fluxo de Caixa Descontado; - Risco de Crédito com Credit Score.
Esse post foi publicado em Inteligência de Negócios e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s