O Inferno da Divina Comédia na Tecnologia da Informação

DivinaComédia-1O inferno da tecnologia não está enterrado nas profundezas da terra e sim no fim do corredor. Veja o motivo.

Passe tempo suficiente na indústria de tecnologia, e você eventualmente se encontrará no inferno da TI – um local não muito diferente do submundo descrito por Dante em sua “Divina Comédia”.

Nos centros de dados, salas de conferências e cubículos, a versão desse inferno na área de TI não é alegoria. É um teste muito real de sanidade e alma.

Quantos foram abandonados no limbo por nossos fornecedores de TI, só para venderem facilidades. Quantas vezes foram acusados de heresia por argumentar a favor ou contra o uso de código aberto? Certamente muito foram vítimas de fraude e traição por parte dos fornecedores.

Felizmente, como no universo poético de Dante, há maneiras de escapar dos nove círculos do inferno de TI. Mas tenha cuidado: de uma hora para outra você pode ter de enfrentar seus próprios demônios para superá-lo.

1° Círculo do Inferno de TI: limbo

Descrição: um pântano lamentável onde nada é feito e a mudança é impossível

Pessoas que você encontra lá: usuários presos por fornecedores, departamentos algemados por bloqueios de software, organizações refém de desenvolvedores.

Há muitas maneiras de cair no limbo. Quando os problemas surgem e os vendedores começam a apontar o dedo uns para os outros, quando você está preso a um software de baixa qualidade, sem alívio à vista, quando seus programadores o deixam preso, sem nada poder fazer a não ser começar de novo a partir do zero.

Você sabe que está no limbo quando “os profissionais de software começam a dizer que o problema está no hardware enquanto os de hardware dizem que o problema está no software”, diz Dermot Williams, diretor da Threatscape, empresa de segurança de TI com sede em Dublin, na Irlanda . “Passe a eternidade nesse círculo e você vai descobrir que, sim, é possível que ninguém seja culpado e todos se sintam culpados, ao mesmo tempo”, completa o executivo.

Algo semelhante acontece quando os vendedores de aplicativos culpam o OS, e fornecedores de sistemas operacionais culpam os desenvolvedores de aplicações, aponta Bill Roth, vice-presidente-executivo da empresa de gerenciamento de dados LogLogic. “A Oracle diz que é culpa da Red Hat, enquanto a Red Hat culpa a Oracle”, exemplifica ele. “O suporte de TI é ruim de ambos os lados.”

Como escapar: “Quando você está cavando um buraco no inferno, a primeira coisa a fazer é parar de cavar e escalar o caminho para fora”, diz Roth. Isso significa ter certeza de que você tem o conhecimento técnico em casa para resolver os próprios problemas, pode adotar código aberto para evitar os bloqueios de software, e ter tempo para refatorar o código para que você possa ser mais eficiente da próxima vez.

2° Círculo do Inferno de TI: luxúria Techie

Descrição: uma caverna profunda repleta de montanhas de aparelhos descartados, com criaturas lutando para alcançar o topo

Pessoas que você encontra lá: quase todo mundo, em algum momento.

O círculo da luxúria techie permeia praticamente todas as áreas de uma organização.

Inclui desenvolvedores que abandonam a manutenção das ferramentas em uso para abraçar tecnologias mais recentes, sem parar para entender primeiro essas novas estruturas e metodologias. Gestores que querem aparelhos novos (como o iPhone) e inventam uma razão pela qual eles devem tê-los, independente do impacto sobre as políticas de TI. Executivos que fixam em conceitos que mal entendem (como a nuvem) e acionam todos os recursos de uma organização por trás do medo de perder concorrência.

“Na realidade, todos nós visitamos o círculo da luxúria, cedo ou tarde”, diz Steven A. Lowe, CEO da Innovator LLC, consultoria e empresa de desenvilmento de software. “O problema com a luxúria techie é o acúmulo de tarefas. Você pode ficar atolado para sempre no discurso “nós não podemos terminar esse projeto, porque uma nova ferramenta acabou de sair e vamos começar tudo de novo”.

Como escapar: é difícil se libertar do círculo da luxúria techie, admite Lowe. “Nós todos amamos novidades”, diz ele. “Mas você tem de saber o que é bom o suficiente para começar a trabalhar e aprender a ser feliz com o que já tem.”

3° Círculo do Inferno de TI: gula dos Stakeholders

Descrição: um pântano fétido cheio de usuários de negócios insaciáveis que exigem mais e mais recursos, não importa o custo

Pessoas que você encontra lá: demônios de vendas e marketing, finanças e administração. Esse círculo é dolorosamente familiar para qualquer um que já tentou desenvolver um aplicativo de negócios, diz Williams.

“Até o fim do projeto, especificações, orçamentos e cronogramas reais não têm qualquer semelhança com as que você estimou, graças aos usuários que continuam acrescentando recursos”, diz Williams. “Um desenvolvedor que tem a infelicidade de cair nesse círculo nunca vai alcançar o nirvana de oferecer ‘todos os recursos’, porque a especificação, em si, nunca será finalizada.”

Como escapar: há apenas um caminho. E isso implica enfrentar algumas duras realidades, diz Williams. “Para escapar desse círculo, é melhor empunhar o espelho mágico da verdade dolorosa”, diz ele. “Essa arma poderosa faz os demônios olharem em seus próprios corações escuros e perceberem que, em última análise, são eles que mais têm a perder com a inclusão desenfreada de recursos.”

4º Círculo do Inferno de TI: a ganância corporativa

Descrição: uma fornalha acre onde criaturas se afogam em um rio de ouro derretido

Pessoas que você encontra lá: os executivos e os acionistas. Também: Donald Trump

Esse círculo é preenchido com aqueles que colocam o ganho financeiro pessoal à frente das necessidades dos clientes, diz Anthony R. Howard, consultor de tecnologia.

“Quando os arquitetos de TI trabalham em projetos capazes de trazer dezenas de milhões de dólares, o pessoal da torre de marfim quer que a receita entre o mais rápido possível para que possa apresentá-la à turma de Wall Street – e recolher o bônus”, diz ele. “Ao mesmo tempo, os clientes querem tudo, incluindo os produtos que não existem ainda.”

Como escapar: A habilidade política, a dedicação ao cliente, o suporte e a gestão são as únicas maneiras de sair desse círculo, diz Howard. “Você tem de descobrir como entregar os resultados que eles querem de alguma forma.”

5º Círculo do Inferno de TI: raiva do desenvolvedor

Descrição: Um poço de enxofre, fumaça e fogo onde geeks crescem

Pessoas que você encontra lá: programadores, desenvolvedores e executivos C-level

No mundo do desenvolvimento de software, os prazos são constantes, a pressão é intensa, e refletem nos temperamentos. Os habitantes desse círculo tendem a gritar primeiro e perguntar depois.

Larry Roshfeld, vice-presidente-executivo de Sonatype, provedora de soluções de governança open source, diz que sua equipe trabalhou recentemente com uma grande instituição financeira no desenvolvimento de software personalizado para a divisão comercial do banco. Mas quando a equipe jurídica do banco examinou o código, encontrou centenas de conflitos de direitos autorais que levariam semanas para resolver.

“A equipe da área comercial começou a gritar que precisava da aplicação o mais rápido possível”, diz ele. “Outra equipe ficou sabendo disso e também começou a reivindicar a atenção do pessoal de desenvolvimento, preocupada com o fato da demora no desenvolvimento do aplicativo prejudicar o andamento dos negócios. “A equipe legal, por sua vez, garantia que o uso do aplicativo não seria liberado até que as questões de licenças e direitos autorais fossem resolvidas. “Ouvi palavrões que eu nunca tinha ouvido antes. As pessoas estavam literalmente espumando pela boca enquanto gritavam umas com as outras, em uma verdadeira guerra.”

Como escapar: Você pode evitar a maioria dos conflitos mantendo todos informados de cada passo, diz Roshfeld. “Em nosso exemplo, se a equipe de desenvolvimento tivesse as informações de licenciamento nos estágios iniciais do desenvolvimento, poderia ter tomado decisões mais acertadas, capazes de evitar a crise”, diz ele. “Tomar conhecimento de falhas críticas no final do processo de desenvolvimento inevitavelmente conduz ao caminho do quinto círculo.”

6º Círculo do Inferno de TI: heresia Tech-cult

Descrição: Um labirinto insondável, onde todos os caminhos levam ao mesmo destino, iluminado pelos fogos de descrentes queimando na fogueira

Pessoas que você encontra lá: fanboys da Apple, Google e Microsoft, wikipedistas, defensores do uso do código aberto, e qualquer outro membro de um culto da área de TI

Onde verdadeiros nerds crentes se reúnem, o resto do mundo é lançado na cova de heresia.

Sistemas aberto versus software proprietário, Apple versus Microsoft. Não importa que lado você defenda, haverá sempre uma heresia do outro lado, diz David O’Berry, engenheiro de sistemas estratégicos da McAfee.

Como escapar: depende do grau de fanatismo e da crença no poder da “evangelização”, diz O’Berry. É possível evitá-los, mantendo a mente e os olhos bem abertos. “No momento em que você começa a tratar algo como um fanático, reforça a noção de que o assunto é uma religião”, diz ele. “Não é religião, é negócio. O mundo sobrevive com compromisso. Ir longe demais em um sentido ou no outro não resolverá o problema.”

7º Círculo do Inferno de TI: a violência do fornecedor

Descrição: um local sombrio cheio de ogres com cortes de cabelo caríssimos, empunhando carteiras Louis Vuitton

Pessoas que você encontra lá: advogados

No mundo da TI, a violência contra indivíduos é lamentável, mas felizmente rara. Já a violência entre as empresas é comum – e os danos colaterais muitas vezes muito mais extensos.

“Quando as empresas não podem competir de forma justa, ficam predatórias”, observa O’Berry. “Acontece quando todos os processos de patentes começam a aparecer”, completa.

Como escapar: saindo do círculo de empresa contra empresa, a violência só pode ser possível por meio de ação coletiva, diz O’Berry. “Quando você aperta o único ecossistema para a sua vantagem, e não se preocupa com as empresas que matou ao longo do caminho, eventualmente, as pessoas vão dizer basta”, diz O’Berry. “Precisamos equilibrar a natureza capitalista com alguma forma de responsabilidade social.”

8º Círculo do Inferno de TI: práticas fraudulentas e hackers malévolos

Descrição: um local escorregadio onde demônios espreitam nas sombras e nada é como parece

Pessoas que você encontra lá: scammers, spammers, hackers black hat e administradores de sistemas desonestos

O oitavo círculo do “Inferno de TI” é povoado por almas perdidas que abusam de privilégios de acesso para roubar dinheiro, dados e propriedade intelectual, ou simplesmente promover danos em resposta a alguma percepção errada.

Como escapar: você pode evitar cair no círculo de fraude melhorando o monitoramento dos privilégios de acesso. “As pessoas com mais poder – administradores de rede e de sistemas – muitas vezes não são controlados de forma alguma”, diz ele. “Você precisa ser capaz de ver o que estão fazendo e controlá-los em um nível granular. Quando as pessoas sabem que estão sendo monitoradas, tendem a manter-se longe de problemas.”

9º Círculo do Inferno de TI: traição techie

Descrição: um deserto gelado, cheio de almas perdidas desesperadamente agarrando as facas nas costas

Pessoas que você encontra lá: funcionários descontentes, rivais de trabalho e qualquer geek rancoroso

Inveja, calúnia, subterfúgios e sabotagem – todos eles são apenas infelizes partes da vida de TI, diz Anthony R. Howard.

Como escapar: a possibilidade de traição aconselha ter um bom gestor do seu lado, pontua Howard.

Por Dan Tynan

Anúncios

Sobre Ramires, F A. Borja

Sólidos conhecimentos em: GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS - Planejamento Estratégico Empresarial; - Balanced Scorecard (BSC); - Indicadores de Performance (KPI); - Avaliação de Potencial de Mercado; - Marketing Geográfico (GIS); - Business Intelligence (BI); - Inteligência Competitiva. GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA - Planejamento Orçamentário; - Plano de Negócios; - Análise de Custo, Volume e Lucro; - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional; - Formação e Análise de Preços; - Retorno sobre Investimentos; - EVA, MVA, EBITDA e Fluxo de Caixa Descontado; - Risco de Crédito com Credit Score.
Esse post foi publicado em Comportamento Humano. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s