Projetos de TI devem suportar a estratégia empresarial

Os profissionais de TI precisam entender do negócio para poderem escolher as soluções mais adequadas, defende especialista.

A carreira do profissional de TI começa com muito entusiasmo pela parte técnica, desejo de aprender novas tecnologias e a grande vontade de explorar o mundo e inovar (gerações Y e Z). Conforme o profissional vai amadurecendo, sente a necessidade de ter não apenas uma visão técnica e experiência em tecnologias, mas também de adquirir conhecimentos de negócio.

É neste momento que surge a necessidade de especializações, como os famosos MBAs, que são um grande diferencial, visto que os profissionais de TI, gerenciamento de projetos e engenharias já possuem normalmente várias qualificações técnicas e certificações. O planejamento estratégico permite o alinhamento dos projetos da empresa com sua missão e objetivos, viabilizando o sucesso em atingir a visão. E o que isso tem a ver com TI? Tudo.

Os profissionais de TI precisam entender o negócio da empresa para poderem escolher as soluções mais adequadas e as explicar para os gestores. Muitos se queixam de que os seus projetos foram interrompidos, mas a grande verdade é que a maioria dos projetos é um total desperdício de recursos. Um livro interessante a respeito do assunto é “Escritório de Projetos Avançado”, em que Ricardo Mansur trata do tema planejamento estratégico de TI e Escritório de Projetos.

Entendendo a Estratégia da Empresa

Michael Porter diz que a lucratividade deve permear os objetivos da empresa em sua estratégia, ao passo que Tom Peters ressalta a importância de se ater ao core business na busca da excelência (foco e simplicidade).

Porter ainda diz que uma estratégia saudável começa com um objetivo correto, ambos ligados à busca de lucratividade superior. Se o objetivo é qualquer outro que não a lucratividade (ser grande, líder em tecnologia etc), sua empresa corre riscos.

Afinal, as empresas foram criadas para dar lucro aos seus donos e acionistas. Mantenha os olhos nesta big picture para não se perder nos detalhes (produto, tecnologia etc). Isto é, toda infra-estrutura de TI, suporte, redes e comunicação, devem ser adequados aos objetivos estratégicos da organização e devem atender a seus requisitos da maneira mais eficiente. Portanto, sempre se pergunte: precisamos realmente implantar algo novo? A outra pergunta seria: quais as novidades que podem nos ajudar a solucionar nossos problemas de modo mais eficiente?

Gerenciamento de Projetos

Costumo dizer que o trinômio Estratégia – Qualidade – Projetos é a base do diferencial competitivo para as empresas no século XXI. O planejamento estratégico e metodologias como BSC deram um norte e um caminho a ser perseguido pelas organizações. Já a gestão da qualidade mudou o foco dos problemas para as soluções, prevenindo os erros e buscando melhorias para as partes interessadas, principalmente os clientes. E os projetos? As metodologias de gerenciamento de projetos concretizam o planejamento da empresa em resultados reais. Por que ter uma metodologia? Porque ela garante consistência nos resultados, repetitibilidade e permite desenvolver ativos de inteligência organizacional – o que irá melhorar o aprendizado corporativo, estimativas para os próximos projetos e consolidar as melhores práticas dentro da organização.

Qual o papel da TI?

Estamos numa transição da Era da Informação para a Era da Cognição. Existe tanta informação disponível que às vezes é complicado garimpar o que é realmente importante. Esse é o papel da cognição. As pessoas agora precisam não apenas ter conhecimento, mas saber como buscar e filtrar informações e precisam saber pensar, relacionar os dados obtidos e inventar melhores maneiras de utilizar essas informações. O papel da TI é viabilizar esse processo, auxiliando a interação e comunicação, além do armazenamento e filtragem de dados. Obviamente, os requisitos de segurança e confiabilidade estão aumentando e é preciso expandir nossa visão técnica.

Mário Henrique Trentim (Diretor da iPM Consult – Consultoria Inteligente. Professor e coordenador dos cursos de MBA da CEDEPE Business School em Gerenciamento de Projetos. Membro voluntário do PMI Pernambuco da Diretoria Adjunta do Chapter

Anúncios

Sobre Ramires, F A. Borja

Sólidos conhecimentos em: GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS - Planejamento Estratégico Empresarial; - Balanced Scorecard (BSC); - Indicadores de Performance (KPI); - Avaliação de Potencial de Mercado; - Marketing Geográfico (GIS); - Business Intelligence (BI); - Inteligência Competitiva. GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA - Planejamento Orçamentário; - Plano de Negócios; - Análise de Custo, Volume e Lucro; - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional; - Formação e Análise de Preços; - Retorno sobre Investimentos; - EVA, MVA, EBITDA e Fluxo de Caixa Descontado; - Risco de Crédito com Credit Score.
Esse post foi publicado em Tecnologia da Informação e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s